Crítica da Razão Negra

Aqui está um pedacinho da raiz da crise da identidade negra. Achille Mbembe no seu livro “Crítica da Razão Negra”, explica do que se trata:

“(…) a “razão negra” designa tanto um conjunto de discursos como de práticas – um trabalho quotidiano que consistiu em inventar, contar, repetir e pôr em circulação fórmulas, textos, rituais com o objetivo de fazer acontecer o Negro enquanto sujeito de raça e exterioridade selvagem, passível, a tal respeito, de desqualificação moral e de instrumentalização prática. Chamemos, a este texto primeiro, a “consciência ocidental do Negro”. Procurando responder à questão “Quem é?”, esforça-se por nomear uma realidade que lhe é exterior e que ele tende a situar relativamente a um eu tido como centro de qualquer significação. A partir desta posição, tudo o que não é idêntico a si, apenas pode ser anormal”. (pág.58)

You may also like