Mercado da Discriminação

Um das questões importantes nos estudos que envolvem a venda de um serviço é a discriminação. Tecnicamente um serviço oferecido publicamente deve obedecer a lei da igualdade da oferta. No entanto, há vários estudos que demonstram que mulheres, pessoas negras e homossexuais nos Estados Unidos têm sido alvo de diversas formas de discriminação. Veja abaixo uma pequena lista de pesquisas sobre o tema com os respectivos links de acesso aos estudos.

COMPRAR UMA CASA NOVA

Quando afro-americanos querem comprar casas nos Estados Unidos, os agentes imobiliários mostram menos casos em vizinhanhas onde moram pessoas brancas. (Roscigno, Karafin and Tester, 2009).

PEDIR UM EMPRÉSTIMO IMOBILIÁRIO

Os afro-americanos também são os mais propensos a receber um emprétimo “sub-prime” (os empréstimos com maior juros concedidos a pessoas com maior risco de crédito) mesmo quando eles têm qualificação de crédito comprovada para receber taxas favoráveis. (Fabera, 2013)

VAGAS DE TRABALHO

//MULHERES

Mulheres que se candidatam a uma vaga de trabalho recebem um salário menor em relação aos homens que se candidatam ao mesmo cargo. (Moss-Racusin, 2012)

//NEGROS

Homens negros que se candidatam um vaga de trabalho SEM antecedentes criminais são menos propensos a conseguir um emprego em relação a homens brancos COM um passado criminal. (Pager, Western and Bonikowki, 2009).

//HOMENS GAYS

Em alguns Estados dos EUA há um significante número de casos de discriminação na hora de contratar alguém se essa pessoa for um homem que aparentemente é gay. (Tilesik, 2011)

VENDER NO EBAY

// PESSOAS NEGRAS

Um iPod listado no Ebay para venda em que se vê a foto do dispositivo sendo segurado por uma mão de uma pessoa negra ganha 20% menos lances de compra do que ofertas de iPods em que se vê uma mão de uma pessoa branca segurando o dispositivo. (Doleac and Stein, 2010).

//MULHERES

Mulheres que vendem coisas no Ebay recebem um número pequeno de ofertas (num valor bem abaixo do valor inicial) se comparado com o valor que os homens recebem ao venderem os mesmo produtos. (Kricheli-Katz and Regev, 2016).

ALOJAMENTOS NO AIRBNB

No Airbnb, anfitriões não-negros ganham 12% a mais do que anfitriões negros  considerando que ambos cobram o mesmo valor do aluguel. (Edelman e Luca, 2014).

Hóspedes com nomes que são considerados de pessoas não branca, como “Larisha” ou “Rasheed” que procuram alojamento no Airbnb têm uma taxa de aceitação por um anfitrião de 16% em relação a hóspedes com a mesma descrição mas que utilizam nomes aparentemente de pessoas brancas como “Brent” ou “Kristen”. (Edelman, Luca and Svirsky, 2016).

VIAJAR COM UBER e LYFT

Passageiros com nome de afro-americanos esperaram 35% mais tempo do que o tempo considerado normal de espera. Em Boston, foi observado que a discriminação dos motoristas da Uber através de cancelamentos foi mais frequente com passageiros que usavam nomes que soavam afro-americanos.

Em todas as viagens, a taxa de cancelamento para utilizadores com nomes afro-americanos foi mais que duas vezes do que o cancelamento de viagens solicitadas por utilizadores com nomes aparentemente de pessoas brancas. Os passageiros masculinos que solicitaram uma viagem a partir de áreas de baixa densidade foram mais de três vezes propensos a terem sua viagem cancelada quando utilizaram nomes afro-americanos. (Ge; Knittel; Mackenzie e Zoepf, 2016)

VIAJAR COM A BLABLACAR

Motoristas com nomes que, aparentemente, são árabes ou mulçumanos recebem menos pedidos do que aqueles que têm nomes com consonância francesa. (Farajallah; Hammond e Pérnard, 2016)

 


 

You may also like